quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Petit gâteuax de polenta, legumes verdes salteados e Pesto



Pouco texto, pois hoje trago uma receita simples, mas com “bastante” passos e que também fez parte de minha “dieta” revigorante :))

Mais duas frases. O sabor estava extraordinário. Posso dizer que essa foi uma das melhores refeições que já comi em minha vida :D

 
Petit gâteaux de polenta, legumes verdes salteados e Pesto
Rende 4 porções como prato principal

Pesto

Uma mão cheia de salsinha , só as folhinhas
Uma mão cheia de manjericão, só as folhinhas
2 nozes inteiras ou 4 bandas, bem picadinho
Sal à gosto
Azeite de oliva extra virgem, o quanto baste para que fique parecendo um pesto mais “líquido”

Pique as ervas bem picadinho e coloque em um bowl de vidro ou porcelana. Tempere com sal, adicione um pouco de azeite e misture. Agora acrescente as nozes picadas, misture e adicione mais azeite se preciso. Reserve.


Legumes verdes salteados

1 abobrinha média, cortar em banda, retirar com uma colher a parte do centro e cortar em finas meias luas
16 vagens, limpas e branqueadas
1 maço de cebolinha, limpar, recortar somente a parte branca e branquear
1 maço de couve, lavar, enrolar e cortar fino
4 col. sopa de ervilhas congeladas, branquear ligeiramente
Sal e azeite de oliva à gosto

Ligue o forno e coloque os pratos que iram servir o Petit gâteaux para aquecer (vale a pena, pois o prato levará um tempinho para ser arrumado).Quando estiverem quentes, desligue o forno. Deixe um espaço extra, que caiba uma frigideira. Não precisa ser necessariamente uma frigideira pode ser um prato grande também ;)

Prepare duas frigideiras ou uma frigideira e um prato grande. Em uma você vai saltear os legumes. Na outra, você irá dispor os legumes salteados e repousar no forno quente até a hora de servir. Procure não misturar todos os legumes, acho legal arrumá-los no prato.

Comece a saltear os legumes. Na frigideira quente, coloque um fio de azeite, junte o legume, tempere com um pouco de sal e saltei. Eu comecei pela abobrinha. Depois foi a couve, depois a vagem e por fim, a parte branca da cebolinha e as ervilhas juntas. 

Na montagem do prato os legumes salteados são os primeiros ao entrar na roda. Arrume-os com jeitinho no centro do prato. Depois distribua um pouco do pesto nas laterais dos legumes. Deixe o centro livre de pesto, pois lá ficará o Petit gâteaux.


Polenta para o Petit gâteaux

500ml de caldo de galinha
125g de polenta, essa foi a proporção que o fabricante indicava na embalagem (usei a Polenta Yoki)
150ml à 250ml de leite integral
3 col. sopa generosas de requeijão cremoso
60g de queijo tipo Gruyère ralado na hora + mais um pouco para decoração do prato
50g de creme de leite leve, usei o da Nestlé, pois queria experimentar esse novo produto!
Sal e pimenta do reino moída na hora à gosto
4 forminhas de metal ou Ramequins com 125ml de capacidade, devidamente pinceladas com azeite de oliva

Em uma panela funda, ferva o caldo de galinha e acrescente a polenta, como se fosse uma chuva. Quero dizer , aos poucos e sempre. Sem parar de mexer, deixe cozinhar.

Polenta firme e ainda quente, distribua um pouco da massa da mesma dentro de cada forminha, uma por vez! Espalhe para obter paredes finas. Use o suficiente para não deixar as “paredes” muito finas! 


Em uma assadeira untada com azeite ou usando o silpat ou uma folha antiaderente, faça as tampas para o Petit gâteaux utilizando uma colher de chá e os dedos. Coloque um pouco da massa de polenta. O suficiente para obter uma tampinha de mais ou menos 5mm ou 6mm de espessura. Ajeite para que fiquem mais ou menos do tamanho certo para tampar o bolinho depois de cheio ;) Você irá precisar mais ou menos da metade da quantidade da polenta para fazer as tampas e as forminhas!


Reserve tanto as tampas quanto as forminhas na geladeira se o ambiente estiver muito quente. Se não, deixe em cima de algum lugar longe do calor do fugão para que endureçam.


Com o restante da massa de polenta que sobrou na panela, faça o recheio. 

Adicione 150ml de leite e volte a cozinhar até que esteja tudo desempelotado. Acrescente o requeijão cremoso e mexa. Junte o queijo e mexa novamente. Por fim acrescente o creme de leite , misture, prove e acerte o sal se necessário. Tempere com a pimenta do reino moída na hora.

Nesse momento observe se o recheio ressecou um pouco com o cozimento e ficou muito consistente. Se isso aconteceu, acrescente leite até ficar mais cremoso.

Com o recheio ainda bem quente, preencha as forminhas pré-preparadas e tampe-as com as tampas de polenta. 

 
 

Com o auxílio de uma faquinha lisa. Desgrude o bolinho das laterais da forminha e vire em cima dos legumes salteados e já arrumados sobre o prato. Decore com o queijo previamente ralado e sirva.

Nesse final de semana estarei na Nordeste Gourmet Bahia 2011. Qualquer dúvida ou pergunta sobre a receita estarei respondendo assim que puder tá ;) 

Bon appetito e um abraço :)

 
 

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Panquecas da bruxa doce


Este fim de semana eu cozinhei muitoooo :D Fiz isso no intuito de fazer comidinhas bem saudáveis e nutritivas para revigorar meu corpo e meu espírito de cozinheira :o

Pensei em começar pelo café da manhã, continuar pelo almoço e terminar no jantar e foi isso que fiz ;)
Já fazia um tempo que queria fazer panquecas e logo pensei em uma receita que vi no "caldeirão da bruxa doce" hehe. Quando vi aquelas fotos, fiquei com água na boca e com muita vontade de fazer. Embora minha primeira tentativa desse errado, eu não desisti. Na segunda (essa) ficou bem melhor :)

 

Escrevi um e-mail para a Sandra perguntando o que eu poderia ter feito de errado. Informei minhas alterações e ela explicou que a farinha de trigo integral é mais pesada (como não lembrei disso?), aí acendeu uma luzinha. Logo lembrei de uma técnica para dar leveza a massas de panquecas e fiz mais uma alteração. Ai meu deus que isso já não é a mesma receita... pensei eu!

Mas tudo bem... ficou ótima também :D


Panquecas da bruxa doce
Rederam 10 discos de mais ou menos 10 cm de diâmetro

2 gemas
25g de açúcar demerara, 2 col. de sopa
220ml de leite integral
110g de farinha de trigo branca
40g de farinha de trigo integral
2 col. chá de fermento para bolo, 8g
2 claras
2 pitadas de sal
4 gotas de essência de baunilha
2 col. de sopa de manteiga sem sal derretida, 30ml

Em um bowl de vidro, coloquei as gemas e as desmanchei (bati até ficar uniforme). Juntei o açúcar e mexe. Agora coloquei a metade do leite e mexe até dissolver um pouco o açúcar. Depois coloquei a outra metade do leite e voltei a misturar. Usei sempre um batedor de arame ou Fouet!

Misturei as farinhas junto com o fermento e adicionei a massa das gemas com o leite. Misturei até dissolver toda a farinha.

Bati as claras em neve (com uma pitadinha extra de sal) e adicionei em dois lotes na massa. Por fim, juntei a essência de baunilha, misturei e depois e a manteiga derretida. Depois daí, não mexi mais. Outra dica da Sandra foi de não mexer muito a massa!

Assim ficou a consistência na minha primeira tentativa!
E assim ficou a consistência na segunda!
 
 


Pré aqueci duas frigideiras antiaderentes e fui colocando um fioziiiiinho de óleo para preparar as panquecas. Com ajuda de uma concha pequena, fui porcionando a massa na frigideira e me concentrei somente no centro dela ;) (dica 3 da Sandra!) Quando começou a aparecerem craterinhas na superfície da panqueca, eu virei o lado. 

Um dica: vale a pena dá uma inclinadinha na panela quando você for mudar o lado da panqueca, como esse lado ainda estará “cru” e mole, isso pode espalhar a massa na frigideira descaracterizando o formato redondinho da mesma. 

Outra dica muito importante é ligar o forno até aquecer e depois desligar. Enquanto você vai fazendo as panquecas, você pode repousá-las no forno para que se mantenham quentinhas até a hora de comer!

Eu usei manteiga sem sal, creme de goiaba e creme de avelã com cacau para acompanhar. Você pode usar o que preferir. Será que com geléia de umbú fica bom??? 

Bom, esse foi o começo de minha “dieta” de revigoração relâmpago. Espero que tenham gostado das panquecas.

Um abraço :)

 
Infelizmente tive que comer mais :s
Segunda opção!
 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Carpaccio de banana com sorvete de chocolate


Olá gente!

Gostaria de pedir desculpas pelo meu chá de sumiço. Eu estou resfriada e até ontem minhas vias nasais teimaram em não abrir. Tinha uma dor de cabeça chata e uma sensação que carregava um balaio bem cheio de coisas pesadas, mas gostosas, em cima de minha cabeça hehe

Hoje tive uma melhora e quis vir aqui (o post tava meio que pré acabado!). Parece que meu organismo está vencendo mais uma vez a batalha. Não costumo tomar remédios para resfriados, só chá e cama. Em fim! Estarei atualizando minhas visitinhas (que tanto gosto de fazer) em breve tá ;)

Essa é aquela opção de sobremesa que falei aqui. Seria para ser servido na primeira comemoração do aniversário de minha irmã, mas achei um tanto quanto trabalhosa para ser servida ao mesmo tempo para várias pessoas. 

É uma sobremesa muito simples de se fazer (a montagem é que requer tempo). Era meu objetivo também, já que a entrada e o prato principal exigiriam um pouquinho mais de trabalho. Além de simples, ela tem um toque de requinte e brasilidade muito legal.

Bem! Eu acho que essa sobremesa é ideal para um jantarzinho a dois, bem romântico ou aquele jantarzinho a quatro, bem legal, com os amigos queridos. Para mais pessoas não indico, a não ser que você tenha um maçarico supersônico. Que caramelize tudo em dois segundos!

A cremosidade da banana junto com a crocância do caramelo e o amargor do chocolate, tudo de comer rezando!!!

Carpaccio de banana com sorvete de chocolate

Creme


90g de leite condensado
3 gemas
250ml de leite integral
20g de amido de milho
100g de creme de leite uht
1 pitada de sal
6 gotas de essência de baunilha

Prepare um banho maria (quente) e um banho maria invertido, com água gelada e gelo.

Em um bowl resistente ao calor, misture o leite condensado com as gemas. Adicione um pouco de leite e misture. Junte o amido e misture de novo.

Acrescente o restante do leite, o sal e mexa até está tudo dissolvido. Leve para cozinhar em banho maria até engrossar. Quando engrossar, apague o fogo e continue cozinhando o creme por mais três minutos e só então o retire do banho maria e leve-o para o banho maria invertido. Adicione a essência de baunilha!

Não pare de mexer o creme enquanto estiver no banho maria invertido. Deixe até amornar. Adicione o creme de leite e misture bem. Reserve na geladeira até antes de usar.

Montagem

Creme

Bananas, eu usei da prata
Açúcar para povilhar
Sorvete de chocolate
Molho e raspas de chocolate para decorar 

Com o creme, faça um espelho no centro de um prato. Com as costas de uma colher, vá espalhando o creme e dando forma circular ao espelho. 


Descasque uma banana por vez e vá cortando cada uma em rodelas bem finas. Coisa de 2 mm de espessura. Depois posicione cada rodela de banana em cima do espelho de creme. Comece sempre pelo centro e tente obter um círculo bem arrumadinho.


Polvilhe açúcar por cima de cada rodela de banana e queime com um maçarico até obter um caramelo. Para servir, basta colocar uma bola de sorvete de chocolate no centro do carpaccio e decorar com um pouco de molho e raspas de chocolate.

O creme não talhou não viu! É que o açúcar derreteu e não homogeinizou com o creme, aí ficou essa aparência de talhado, mas ao comer estava tudo lisinho e cremoso :P

O rendimento do creme dá para até 8 porções. A quantidade de bananas que você irá precisar vai depender do diâmetro da banana que você comprar. Em meu caso, o sorvete foi comprado. Portanto a quantidade veio pré-estipulada, mas o importante é que você compre (ou faça) o suficiente para render a quantidade de 1 bola por prato.

O molho foi feito assim. Derreti 70g de chocolate meio amargo junto com 90g de creme de leite fresco, mexi até homogeneizar e deixei esfriar antes de usar. Pronto! Se quiser dar uma aveludada no molho, pode adicionar uma colher de sobremesa de manteiga sem sal em temperatura ambiente. Vai sobrar um pouco tá!!!

A decoração fica a critério. Eu raspei uma barra de chocolate meio amargo com um descascador de legumes e foi isso!

Espero que tenham gostado :) Meu marido ficou fã, nem bem acabou de comer e já perguntou se teria direito a mais uma porção, pode?!!!

Um abraço cheio de saúde para vocês, pois ficar doente no final de semana ninguém merece né?!! 

 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Sorveteria da Ribeira

 

A Ribeira é um bairro de Salvador-Ba localizado dentro da penísula itapagipana. A atmosfera é muito aconchegante e em várias ruas e vielas o clima é de interior. Tudo isso, é ainda envolto por um ambiente praieiro. Em minha opinião a Sorveteria da Ribeira não poderia está localizada em um bairro melhor.

Na última sexta-feira fui até lá tomar um sorvete e tirar algumas fotos, pois queria muito mostrar a vocês uma das minhas sorveterias preferidas. Fui no horário do almoço, para aproveitar que os ônibus que chegam cheios de turistas não estavam naquela hora. Não é incomum chegar lá e se deparar com uma enorme fila, pois.

Ao entrar, me deparei com uma grande festa. O salão principal estava cheio de crianças, que provavelmente estava num passeio escolar com seus professores. Pela reação e a carinha deles, o sorvete estava mais que aprovado :)


Aproveitei a presença do proprietário, senhor Francisco Lemos, que estava lá olhando com muito zelo pelas crianças, para pedir permissão para fotografar o local. A permissão me foi dada com muita gentileza. Gostaria de aproveitar o ensejo para falar uma coisinha sobre o senhor Francisco Lemos.

Essa semana eu li em uma revista de gastronomia, uma reportagem e entrevista muito proveitosa com o sucessor de Michel Bras, que é o seu filho, Sébastien Bras. 

Em uma das respostas a pergunta feita pela revista, ele contou uma história de um momento que ele viveu em sua vida, onde pôde captar o quão é importante receber bem as pessoas em seu local. Lembrei dessa entrevista, um pouco antes de começar a escrever sobre o senhor Francisco. Para mim ele é uma pessoa que entende muito bem de como tratar bem as pessoas que chegam a sua sorveteria.

Essa não foi a primeira vez que notei isso. Sempre que vou, observo como ele zela pelos clientes e pelo bom atendimento. Isso aqui em Salvador, muitas vezes, tenho a forte impressão de que as pessoas não sabem mais o que significa. Seu Francisco é um Cavalheiro gente!

Esse é o senhor Francisco

Falando um pouco da sorveteria e do sorvete agora. Um pouco antes de entrar, é de se notar o charme da fachada do estabelecimento (que não foi sempre assim!) e ao entrar isso tudo é reforçado com o jeitinho da decoração do local (os azulejos são um mimo) e da maneira que as coisas estão situadas lá. Não tem a aparência de uma sorveteria ultramoderna e é exatamente isso que conferi o charme especial ao local. Os atendentes estão sempre de toca, máscara facial, uniforme e avental branco, eles sempre têm uma aparência limpa e estão sempre atentos ao seu pedido. 

Meus pés pisando no tapete da entrada
 

Não esquecendo ainda do “mural” com vários “diplomas” de atestado da qualidade (se é que posso resumir assim). O mais antigo era de 1996. Foi o que pude enxergar. Sempre que fui lá, nunca tinha observado com cuidado esse “mural”, mas como queria mostrar a vocês fiz algumas fotos e ao mesmo tempo fiquei ofuscada pela quantidade de “diplomas”. Logo na entrada, do lado esquerdo, também tem vários prêmios (pendurados) que a sorveteria ganhou nos últimos anos da revista Veja Salvador, comer e beber, como a melhor sorveteria da cidade.

 
 
 

A variedade de sabores é imensa. Dá até um nó nas idéias da gente :), mas em caso de dúvida você pode pedir para experimentar os sabores que você deseja conhecer. Assim a decisão fica bem mais fácil ;)
Os que mais gosto são os de coco verde, ameixa, pavê e doce de leite, mas ultimamente descobri um de chocolate africano que parece ser feito com chocolate amargo com um teor de cacau bem considerável e também o de biri-biri. Que é doce no começo e no fim fica bem azedinho, ai que delícia! 

 
Mas lá o que não falta é opção. Os sorvetes de frutas regionais são bem apreciados. Nesse dia tinha uma senhora, que estava sentada na mesa atrás da minha, experimentando o de maracujá. Pelos comentários dela, acho que era a primeira vez que ela tinha provado aquele sabor. A mulher repetiu umas dez vezes a mesma frase: esse de maracujá está uma delícia, delícia mesmo. Ela estava em estado de felicidade! Eu escolhi dois sabores e fiquei me esbaldando que nem uma criança =)

Ameixa, que amo de paixão :)
A descoberta, chocolate africano ;)
 
Fiquei com um em cada mão :s

Bom gente, acho que agora consegui mostrar um pouco, uma das minha sorveterias preferidas para vocês. Para saber mais e tirar suas próprias conclusões, seria melhor vocês próprios visitarem-na quando estiverem por aqui. Garanto que o sentimento de arrependimento, vocês não irão sentir ;)

Um grande abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...