segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Polenta pizza


Final de ano chegou e como sempre me nego a emaranhar-me neste stress de comprar presentes e tudo mais que muita gente faz e que eu não acho nenhum problema. Eu só quero estar longe!

Mesmo por que acho que o espírito natalino não tem nada haver com isso em si. Comprar e consumir demasiadamente nesta época foi uma coisa inventada por nós. Desculpem minha sinceridade, mas é o que penso e sinto.

Eu li nos últimos dias coisas lindíssimas em alguns blogs de pessoas queridas sobre a preparação para o natal em suas casas e tudo estava voltado ao ato de receber as pessoas e fazer com que elas se sintam bem em suas casas, em suas mesas. Sem esquecer das lindas lembranças dos natais anteriores :) Isso é o que é necessário, é o que eu gostaria de receber ao "festejar" esse dia tão esperado por tantos todo o ano, na casa de algum familiar.

Eu sei que consumir é algo inegável e necessário, até mesmo porque, precisamos comprar a comida para ceia e tudo mais. Acho essa parte a mais legal de todas!

Estou lhes escrevendo tudo isso, pois tive que ir ao shopping durante esses dias (banco também) e me senti literalmente como uma formiguinha dentro de um formigueiro. Estava muito cheio! É muito cansativo, tento ao máximo evitar tais visitas a tais lugares nessa época, mas tem dias que não dá, tem coisas que tem de serem feitas.

Hoje fui ao shopping, mas antes, preparei meu espírito cozinhando. Nada melhor para mim :)) Fiz essa polenta em forma de pizza que eu e meu filho adoramos. Já meu marido, ficou calado! Eu sei que ele não é lá muito chegado a tomate, hihi


Polenta pizza
Rende uma polenta pizza de 25 cm ø

Polenta

500ml de água
1 col. de chá cheia ou 1/4 de um tablete de caldo de legumes ou galinha,
usei esse aqui!
125g de polenta,
usei da Yoki

Coloque a água para ferver e quando estiver morna adicione o caldo de legumes ou galinha. Quando a água estiver fervendo, abaixe o fogo e despeje a polenta aos poucos, mexendo sempre. Deixe cozinhar sem parar de mexer por uns dois minutos. Desligue o fogo.

Unte com óleo ou manteiga, um refratário de vidro ou uma forma de metal. Despeje a polenta cozida e ainda quente e espalhe uniformemente. Eu deixei numa espessura de menos que 1 cm. Reserve em local fresco e use frio.


Enquanto isso eu preparei um molho de tomate bem simples com 2 col. sopa de azeite de oliva, 2 col. sopa de cebola cortadinha, 2 dentes de alho cortadinhos, uma lata de tomates pelados (400g), sal e açúcar à gosto, e umas 15 azeitonas verdes grandes tiradas do caroço. Não usei ervas, pois iria usar o orégano para finalizar a polenta, mas fiquem à vontade se quiserem ;)


Com o molho pronto, comecei a montar a minha "pizza". Reguei na polenta fria, com um fio de azeite de oliva e cobri a mesma com o molho. Espalhei molho até quase a borda!



Por cima do molho espalhei queijo tipo mussarela fatiado (5 fatias grosseiramente cortadas à mão) e lascas de queijo tipo Gruyere. 



Levei ao forno pré aquecido a 230° C por 3 minutos e deixei por mais 5 minutos na função grill, para gratinar.  Ao sair do forno, polvilhei a "pizza" com orégano (ligeiramente esfregado com a palma das mãos antes) e servi.

Uma refeição ligeira e deliciosa :) Espero que tenham gostado :)

Um forte abraço





quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Compota de manga com maracujá


Essa é a segunda escolha de compota que fiz do livro Compotas e Chutneys da editora Larousse. 

Confesso que essa foi a minha preferida das duas. Doce, azedo, consistentes pedaços de manga e a crocância das sementes do maracujá, em fim, uma compota de cor linda e sabor bem delicioso.

Além disso, também foi bem prática de se fazer. Eu usei mangas maduras, mas de polpa firme e acho que isso contribuiu para que ficasse um pouco mais líquida, mesmo cozinhando por mais tempo que o indicado na receita!



Achei que se eu usasse uma fruta de polpa mais macia, poderia esbagaçar tudo durante o cozimento e se tornar um mangue hehe. De qualquer forma, esse ponto mais líquido caiu muito bem em uma sobremesa que fiz para utilizar a compota, um blancmanger de coco, ficou ótimo :P
 
Não conformada com o caso, cozinhei mais uma vez a mesma compota, só que meia receita. Desta vez usando uma manga grande e de textura mais macia. Ficou muito bom e a consistência foi um pouco mais cremosa. Alguns pedaços se desfizeram e outros ficaram inteiros. Em fim, ficou bom dos dois jeitos ;)



Compota de manga com maracujá
Rende 800g de compota (informação retirada do livro) 

2 mangas grandes (700g de polpa de manga), eu usei 4 mangas pequenas
4 maracujás grandes e bem maduros, desses 4 maracujás rendeu 300ml de polpa, achei muito e só usei 230ml
500g de açúcar demerara

Texto da receita escrito de acordo com o livro!

Descasque as mangas e corte a polpa em cubos. Corte os maracujás ao meio, em seguida retire a polpa e as sementes com uma colher pequena. Misture a polpa e as sementes das frutas com o açúcar em uma tigela. Em seguida, despeje tudo em uma panela de fundo grosso.




Leve ao fogo baixo (correção, médio!) até atingir o ponto de fervura. Abaixe o fogo e deixe cozinhar por 20 minutos. Verifique o ponto do cozimento despejando algumas gotas da compota sobre um pires previamente resfriado. Se a compota se fixa e se torna espessa ao contato com a superfície fria, é sinal de que está pronta. Se não, refaça este teste depois de 2 a 4 minutos.

Vasilha com água para retirar a espuma que se formará. Essa compota não teve tanta espuma quanto a de banana!

Reparta a compota de manga assim que tirar do fogo em potes de vidro e tampe-os em seguida. Acaba aqui o texto do livro!

Na primeira tentativa, esse tempo de cozimento de 20 minutos, para mim foi de 20 + 6 x 4 minutos, ou seja, 44 minutos de cozimento até que o líquido reduzisse bastante. Com isso o rendimento provavelmente não foi o mesmo que o indicado pelo livro. 

Olhem só o tanto que reduziu!

Na segunda tentativa, o cozimento durou 32 minutos, 12 minutos a mais que o indicado no livro. Ficou cremoso e ainda fiz o teste do prato resfriado e deu certo.  Vale lembrar que a quantidade que fiz foi reduzida e isso ajuda no ponto do resultado final!

Esse vidro da tampa verde, eu reaproveitei, pois tinha usado todo o conteúdo da primeira tentativa ;) Lavei e reusei :)


Achei a experiência de “testar” essas receitas muito legal. Irei com certeza experimentar mais outras receitas do livro e me deliciar com elas.

Espero que vocês tenham gostado. Aproveitem agora um pouco do blancmanger de coco com compota de manga com maracujá :P e mais fotos aqui!

Um abraço para todos :)




segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Compota de banana ao rum


Chegou pelo correio na última quinta-feira, 17/11, o livro Compotas e Chutneys da editora Larousse. Sem esperar muito, mas bem rapidinho (pois tinha de sair) abri o pacote e dei uma olhadinha no livro. Que por sinal tem fotografias lindas. Logo na capa se vê isso! Depois com calma, eu o li e me deliciei com tantas possibilidades.

A autora chama-se Valérie Lhomme. Ela tem um jeitinho bem meigo e inspirador de escrever suas receitas. É como se fosse uma bruxa do bem, que faz suas misturas interessantes com base em vivências de sua vida e experiências na cozinha. Além da autoria das receitas, ela também é a autora das fotos do livro. 

O livro é belo e cheio de receitas interessantes. Difícil foi fazer uma escolha só, por isso resolvi facilitar e escolhi duas (para que dificultar as coisas né!), compota de banana ao rum e compota de manga com maracujá.

Tinha terminado de fazer as compotas e coloquei os vidros virado. Não é a foto que tá virada não :)

Logo no início vem uma página com dicas fundamentais para que você obtenha sucesso fazendo as compotas ou chutneys. Mesmo assim achei que somente esse texto não faria ninguém um expert em fazer compotas. Isso também só se adquire com o tempo!

Acho que esse livro é bem legal. Traz receitas com combinações inusitadas, modernas e clássicos também, como por exemplo compota de morango aromatizado com baunilha. Realmente, uma boa leitura para quem se interessa e tem um pouco de conhecimento na matéria de conservas ;)
 
Vamos à primeira compota? Êbaaaa!


Compota de banana ao rum
Rende 1,2kg de compota (informação tirada do livro)

3 limões, comprei dois limões siciliano que rendeu 140ml de sumo, achei suficiente e não acrescentei mais sumo de limão nenhum
1 kg de banana-maçã, comprei duas pencas de banana-maçã, retirei uma a uma do cacho e fui pesando até que obtive 1kg. Depois descasquei e pesei novamente e obtive 732g da fruta sem a casca
500g de açúcar demerara
50ml de rum + 1 col. sopa, esta colher de sopa é opcional, eu não usei

O texto em marrom, é acréscimo de minha parte. O resto é como está no livro!

Lavar bem os limões sob água fria. Rale bem fino a casca de um deles e reserve. Esprema o suco dos 3 limões.


Descasque as bananas e corte-as em fatias. Coloque em uma tigela e regue com o suco do limão. Acrescente a casca do limão ralada, o açúcar, e 50ml de rum. Misture delicadamente e deixe macerar por 15 minutos.
Eu coloquei os ingredientes em camadas, depois ficou fácil de misturar sem espatifar as bananas!


Despeje a banana e seu suco perfumado em uma panela de fundo grosso. Em fogo médio, deixe atingir o ponto de fervura, retire regularmente a espuma que se formar e mantenha o cozimento em fogo baixo durante 15 minutos.

Antes de acondicionar a compota, despeje, se desejar, a colher de rum, misturando bem. Reparta a compota em potes de vidro, tampando-os em seguida. 


No livro não diz para virar os vidros, eu virei por conta própria!

Conselho: Se a banana estiver muito madura, a compota tende a fermentar. É aconselhável então manter esta delícia no refrigerador. 

A autora explica que escolheu a banana-maçã para fazer esta compota porque ela não precisa estar muito madura para estar perfumada. Acaba aqui o texto do livro!

Dica: para retirar a espuma utilize uma vasilhinha com água limpa. Isso serve para limpar sempre a colher e não devolver a espuma para a panela. Se for preciso troque sempre a água!

Eu achei a compota de banana ao rum, apesar de ter um sabor forte e particular, bem gostosa e farei com certeza mais vezes, mas talvez com outros tipos de banana.

E para não perder o costume, fiz uma sobremesa para mostrar uma das possibilidades do uso da compota.  Foi uma verrine com biscoitos esmigalhados no fundo do copinho, mousse de chocolate aromatizado com noz moscada e mel, e a compota diluída (pois estava bastante consistente) em um pouquinho de água e uma col. sopa rasa de mel Karo.

Ficou nota dez essa verrine. Já estou até imaginando se a compota ficará bem com uma boa rabanada ;)

Um abraço para todos :)




Olhem elas aí outra vez :)

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Sorvete de mini figo seco


Vocês já vivenciaram uma situação na cozinha, onde as coisas começam bem, depois de um tempinho dá uma emperrada e depois volta a ficar tudo bem?

Pois é, ontem comigo foi assim fazendo esse sorvete. Tinha terminado de limpar a casa e aí deu uma vontade de fazer algo com uns mini figos que comprei a pouco tempo no hiper atacado.



De primeira, nem pensei em fazer sorvete, mas ficou aquele anjinho guloso em meu ouvido: “... faz sorvete, faz sorvete...” e eu o ouvi.

Fiz com um certo medinho, pois da última vez a minha velha e boa máquina de fazer sorvete, tinha emperrado e não voltou a girar. Em fim, coloquei a massa do sorvete na máquina e ela funcionou direitinho (fiquei até contente). Depois de uns 15 minutos, ela começou a emperrar de novo (ai meu deus, pensei). Tentei dá um empurrãozinho na "hélice"com os dedos e não foi.

Quando tinha desistido, deixei-a ainda ligada e fui pegar a vasilha para transferir a massa do sorvete. Abaixei-me, peguei a vasilha e quando volto, olha ela lá girando de novo.

Para a felicidade de todos :)


Sorvete de mini figo seco
Rende 1, 25 l de massa de sorvete

Pasta de figo
Rende 200g de pasta


150g de mini figos secos cortadinhos
200ml de água filtrada ou mineral fervente

Coloque os figos em um bowl resistente ao calor e cubra com água fervente (não borbulhante!). Passe um pedaço de filme de PVC na boca do bowl e reserve até amornar.



Quando estiver morno, quase frio, coe para retirar o excesso de líquido e triture o figo já molinho. Você obterá uma pasta grosseira e super saborosa (pena que me esqueci de tirar foto :s), reserve.


Líquido retirado dos figos hidratados!

Não descarte o líquido retirado. Se quiser faça uma calda como eu. Deixe reduzir em fogo baixo (não é necessário adicionar açúcar!!) até obter uma calda fina, mas consistente. Deixe esfriar e use para decorar a taça onde irá servir o sorvete ;) ou use para um outro fim, mas não descarte. O sabor é delicioso. Seria uma pena jogar fora.

Calda pronta!

Massa para o sorvete

6 gemas , 3 delas foram sobras da cheesecake de manga
300ml de leite integral
80g de açúcar
6 gotas de essência de baunilha
60g de glucose
200g de creme de leite leve
200g de pasta de figo
3 claras em neve, batidas com uma pitadinhazinha de sal

Faça um creme inglês com as gemas, o açúcar, o leite e a essência de baunilha. Instruções aqui!

Tenha já preparado um banho maria invertido (água bem gelada ou água com gelo). Assim que o creme inglês estiver pronto, desligue o fogo, retire o bowl do vapor, rapidamente adicione a glucose e misture. Coloque no banho maria invertido e deixe esfriar.

Acrescente ao creme inglês a pasta de figo, misture e logo depois junte o creme de leite e misture bem.


Bata as claras em neve e acrescente-as ao creme de figo. Misture até que as claras se agreguem ao creme.  Prepare a máquina de sorvete e despeje a massa. Deixe até que vire sorvete. 



Depois de pronto, transfira o sorvete para uma vasilha plástica que feche bem e deixe no congelador até usar. Faça bolas e sirva em taças. Decorei com nozes grosseiramente picadas e a calda de figo.



Uma outra opção, para quem não tem máquina de sorvete, é congelar a massa e depois que estiver firme, processar em um processador. Repetir isso até que o sorvete fique com uma textura aveludada ;)

Se não quiser fazer esse vai e vem de freezer para processador, processador para o freezer, então porcione a massa do sorvete em forminhas de metal ou ramequins, leve ao freezer (congelador) e deixe ficar firme. Desenforme e sirva como preferir ;)


Um sorvete muito gostoso e uma ótima opção para o verão que está para chegar e que parece que por aqui já chegou :o

Um grande abraço e bom final de semana para vocês :))



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...